O HPET Hospital Veterinário, de Salvador, está desenvolvendo uma campanha interessante que deverá facilitar a vida de donos de animais, clientes do hospital, que precisarem de transfusão de sangue. A unidade está cadastrando pets saudáveis que possam se tornar doadores voluntários, e estar a postos quando solicitados.

A ideia é que o voluntário, quando convocado, compareça ao hospital, onde passará por uma triagem clínica e alguns exames laboratoriais para garantir a segurança da transfusão. Os custos envolvidos no procedimento serão de responsabilidade do animal recebedor.

“O esforço dessa campanha é para garantir uma lista de acesso rápido para que possamos salvar nossos pacientes de forma mais eficiente, sem deixar de tomar todas as medidas preventivas adequadas à uma transfusão responsável”, explica o médico veterinário Rodrigo Arapiraca.

Os responsáveis pela unidade médica ressaltam que não se trata da formação de um banco de sangue, mas de um banco de doadores para as situações emergenciais. O hospital informa que não comercializa bolsas de sangue, por não dispor em estoque.

Salvador dispõe de um banco de sangue veterinário, mas nem sempre há estoque suficiente, ou do tipo necessário.

Veja o que é preciso para se tornar um doador de sangue voluntário:

CACHORRO
Para doar, o cachorro deve cumprir os seguintes requisitos:

  1. Pesar no mínimo 25Kg.
    2. Estar apresentando bom estado de saúde e condição corpórea.
    3. Não ter histórico de doença crônica.
    4. Não ter histórico recente (últimos 2 meses no mínimo) de doença infectocontagiosa (ex.: Erlichiose, Leishmaniose, Leptospirose, Babesiose, etc).
    5. Ser preferencialmente calmo.
    6. Estar com vacinação em dia.

GATO
Para doar, o gato deve cumprir os seguintes requisitos:

  1. Ter no mínimo 4,5 kg
    2. Estar livre de doenças crônicas
    3. Devem estar livres de doenças infectocontagiosas
    4. Não ser arisco e aceitar manipulação.
    5. Estar com vacinação em dia.

Animais silvestres e exóticos devem estar clinicamente saudáveis.

O QUE ACONTECE COM O SANGUE?
O sangue passa por avaliação hematológica e alguns testes como sorologia para doença do carrapato, “AIDS felina” e teste de compatibilidade com o receptor.

Caso esse sangue seja aprovado nos testes, o mesmo será destinado à transfusão e caso não seja, é descartado e o responsável pelo doador será avisado dos problemas.

NÃO HÁ RISCOS
O procedimento de coleta sanguínea é realizado de forma segura e asséptica, não representando riscos ao doador, desde que sejam seguidos os critérios acima relacionados.

QUANTAS VEZES CADA ANIMAL PODE DOAR SANGUE?
Os cães podem doar sangue em média a cada 60 dias, podendo esse intervalo ser maior ou menor diante de aspectos individuais e ambientais de cada doador.

BENEFÍCIOS DA DOAÇÃO DE SANGUE

  1. Poder salvar a vida de outro animal.
    2. Proporcionar avaliação clínica geral ao doador (seu pet).
    3. Dependendo da espécie, o doador poderá ganhar exames como hemograma completo, sorologia de doença do carrapato, teste de compatibilidade e investigação de hemoparasitoses.