Onça-preta do zoo de Salvador está prestes a completar um ano

Mais um sucesso de reprodução do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas segue trabalhando pelo bem-estar e a preservação da fauna. Totalizando 114 reproduções no ano de 2015, a mais famosa segue em desenvolvimento constante.

 

A onça-preta, de nome Diaurum, nasceu no dia 15 de agosto de 2015, no Zoológico de Salvador. Atualmente, o animal, prestes a completar um ano, pesa 28 kg e recebe total atenção da equipe do Berçário do Zoo. Os visitantes, através de votação no site do Zoo, escolheram o nome do felino.

O coordenador do Parque, Gerson Norberto, destacou os procedimentos técnicos realizados no Zoo como principal fator para o sucesso na reprodução em cativeiro. “A reprodução em cativeiro é uma importante ferramenta para manutenção das espécies. Para isso, contamos com uma equipe especializada, desenvolvendo ações de medicina preventiva, nutrição, ambientação dos recintos, entre outros, que garantem o bem-estar animal”, disse Norberto.

Desde 2007, o Zoo prioriza a conservação e promove pesquisas científicas com espécies silvestres da fauna e flora nacional, com ações em cativeiro. O Zoológico de Salvador foi o primeiro do país a participar efetivamente em múltiplos programas de manejo, reprodução e pesquisa com espécies brasileiras.

ANIMAL
A onça-preta ou onça-pintada (Panthera onca), maior felino das Américas, é o predador mais majestoso da fauna brasileira, com sua pelagem amarela com manchas pretas em forma de rosetas, ou no caso das melânicas, pelagem totalmente preta com rosetas aparentes quando expostos ao sol, uma camuflagem perfeita que os torna praticamente invisíveis na mata. Os machos dessa espécie chegam a pesar 150kg de puro músculo e as fêmeas podem chegar a 90kg. Eles possuem presas poderosas capazes de quebrar o casco de uma tartaruga com muita facilidade, sendo considerada a mais poderosa mordida de todos os grandes felinos conhecidos.

A onça-pintada ocorre em todos os biomas do território brasileiro, porém, está ameaçada de extinção e sua principal ameaça é a perda de habitat e caça. São animais de topo na sua cadeia alimentar, suas principais presas são cervídeos, catetos, capivaras, queixadas e até jacarés, porém, com o desmatamento crescente para expansão agropecuária, esses animais se tornam cada vez mais escassos, o que faz a onça se aproximar cada vez mais das fazendas e povoados no intuito de se alimentar, abatendo os animais de criação, o que os tornam presa fácil para os fazendeiros e donos de propriedades.