O Padre Fábio de Melo é um apaixonado pelos animais. Ele divide a residência com quatro cachorros da raça buldogue. O mais novo, Enzo, tem apenas cinco meses.

Recentemente, o padre revelou em um programa de televisão que sempre teve cachorros e cresceu rodeado pelos peludos. Houve até um momento em sua vida que chegou a ter 12 cães na casa de seus pais. Ele se manteve afastado dos animais apenas no período em que frequentou o seminário.

Para o religioso, os cachorros são considerados filhos. Ele garante que, apesar de numerosos, reina a paz no lar. “Não há problema de agressividade entre os meus cachorros, são todos muito dóceis e educados”, disse ele.

Padre Fábio contou que jamais recorreu à ajuda de adestradores para mudar o comportamento dos bichos. “Eu acho que eles tem um instinto, que eu preciso me adaptar a eles. Então, para a regra ser boa, eu me adapto um pouco, eles também”, disse, afirmando não querer cachorro parecendo gente.

“Eu quero cão que seja cão, com todas as suas peculiaridades, se eu escolhi tê-los. Agora, é claro que a agressividade, quando há, precisa ser trabalhada”, comentou.

“Eles me humanizam. O motivo é simples. Eles me amam gratuitamente. Eles não sabem quem eu sou, nem tampouco o que faço. Sempre que chego de viagem eles fazem festa para me receber. Eles me amam sem condições. É uma gratuidade que me ensina. Fico comovido quando eles manifestam que sou importante para eles. Quando no meio de outras pessoas eles preferem a mim. Nesta relação com eles acabo aprendendo que o verdadeiro amor nasce do não merecimento”.