Falta pouco para que aqueles que cometem crimes contra animais possam de fato ser punidos com penas mais rigorosas, como têm clamado os apaixonados pelos bichos. Está pronto para seguir para apreciação do plenário do Senado, com perspectiva de aprovação por unanimidade, um Projeto de Lei que criminaliza o abandono de animais, as rinha de cães e outras modalidades de crueldade.

O projeto propõe ainda que seja aumentada em um terço a pena se o crime for cometido com emprego de veneno, fogo, asfixia, espancamento, arrastadura, tortura ou outro meio cruel. Casos similares ao do cavalo que foi arrastado vivo por um caminhão de limpeza pública, na cidade baiana de Guaratinga (a 704 km de Salvador), que chocou a população como um todo, no mês passado. De acordo com testemunhas, o motorista amarrou o cavalo no caminhão com o objetivo de deixar o animal em um lixão.

O animal foi salvo devido à indignação de outros motoristas que interceptaram o veículo.

O projeto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça na semana passada, e caminha para ter aprovação unânime na Casa.

A perspectiva de aprovação unânime não se dará necessariamente por uma preocupação dos parlamentares com os bichos. Mas, leva em conta o potencial eleitoral do tema, que encontra cada vez mais apoio na sociedade.