Se você tem animais de estimação, precisa tomar cuidado ao escolher plantas para o jardim ou para decoração. Algumas espécies podem ser prejudiciais à saúde dos bichos e levá-los a desenvolver doenças, como, por exemplo, edema pulmonar. Os sintomas mais comuns de cães e gatos intoxicados após ingestão de plantas são confusão mental, vômito e diarreia.

O veterinário José Carlos Zanella, da Clínica Veterinária Planeta Bicho, no Paraná, alerta sobre as principais espécies que podem fazer mal aos animais:

Hortência (pode causar dificuldades respiratórias)
Lírio do vale (pode desenvolver alterações cardíacas)
Mamona (a semente provoca vômito, diarreia, convulsão e pode levar à morte)
Bico de papagaio (provoca dermatite de contato e fraqueza)
Flor primavera (dermatite de contato, ardência e feridas)
Tulipa (pode provocar vômito, diarreia e edema pulmonar)
Coroa de cristo (provoca hemorragia urinária)
Comigo-ninguém-pode (pode causar vômito, diarreia e confusão mental)
Hera (provoca alteração cardíaca, vômito e diarreia)
Alho (pode provocar fraqueza muscular generalizada)
Cebola (pode causar hemorragia generalizada e vômito)
Maconha (depressão e dormência)
Antúrio (paralisia da língua e salivação)

No consultório, Dr. Zanella explica que é difícil fazer o diagnóstico. “Isso porque o tutor do animal não consegue identificar a causa dos sintomas do animal. Se o guardião tem em casa essas plantas, ele deve tentar protegê-­la dos animais, para que eles não cheguem até elas. Na hora que perceber que o animal comeu uma planta, que possa fazer mal para ele, e não puder levar ao veterinário, o dono deve fazer o cão ou o gato ingerir cerca de 10 ml de água oxigenada, que o fará vomitar”, esclarece o veterinário em entrevista ao Jornal de Beltrão.

Dr. Zanella também orienta a jamais dar leite aos animais em caso de intoxicação por planta, pois ele pode colaborar com a aceleração da absorção de alguns venenos.

Fonte: Jornal de Beltrão